Ouça a rádio FPA ao vivo no seu browser!
Ouça agora

Instale nosso App!

Fique por dentro de tudo o que acontece com o melhor da MPB!

Regulamentação da Emenda Constitucional 72 - Trabalho doméstico

8/jul/2013

Por Núcleo Social da Liderança do PT no Senado

Está em discussão, no Congresso Nacional, o PLS 224/2013 – COMPLEMENTAR – “Dispõe sobre o contrato de trabalho doméstico, e dá outras providências”, que se propõe a regulamentar a Emenda Constitucional nº 72, resultante da aprovação da PEC 66/2008, conhecida como “PEC das Domésticas”.

O PLS 224/2013 foi aprovado – após três acaloradas versões- na Comissão Mista para Consolidação da Legislação Federal e Regulamentação da Constituição, onde teve como Relator o Senador Romero Jucá.

Em seus 48 artigos, além de revogar a atual Lei dos Empregados Domésticos (Lei nº 5859/1972), a matéria legisla sobre o contrato de trabalho doméstico, cria o SIMPLES doméstico, altera a legislação previdenciária e tributária e cria o REDOM (Programa de Recuperação Previdenciária dos Empregados Domésticos).

Entidades importantes, como a ANAMATRA, se mostram preocupadas com alguns pontos do projeto, como os limites de jornadas de trabalho e turnos de descanso, a possibilidade de trabalho em tempo parcial, considerado precarizador, além da retirada do texto de qualquer possibilidade de fiscalização domiciliar por parte dos inspetores do trabalho. A fórmula alternativa (poupança do empregador) de pagamento de indenização de 40% do FGTS por indenização sem justa causa desagrada a muitos setores dos empregados domésticos, que gostariam que fosse utilizada exatamente a mesma fórmula aplicada aos demais trabalhadores. 

Tais questões ainda precisarão ser exaustivamente debatidas, em busca de um consenso. Do ponto de vista do Núcleo Social da Liderança do PT/Senado, no entanto, há uma determinação do projeto que não pode ser questionada. Trata-se do parágrafo único do artigo 1º, que proíbe o trabalho doméstico para menores de 18 anos.  Esta proibição, pasmem, foi quase derrubada durante os trabalhos da Comissão Mista, tendo permanecido por bom senso do Relator e eficaz trabalho de advocacy da Comissão Nacional de Erradicação do Trabalho Infantil (CONAETI) e do Ministério Público do Trabalho (MPT).

A proibição da contratação de menor de 18 anos para desempenho de trabalho doméstico é coerente ao compromisso do Brasil ao aderir à Convenção 182 da Organização Internacional do Trabalho, referente às piores formas de trabalho infantil. Esta Convenção foi regulamentada por meio do Decreto 6481/2008, que criou a chama da “Lista TIP (trabalho infantil perigoso)”, da qual consta o trabalho doméstico.

Brasília sediará, de 8 a 10 outubro deste ano, a III Conferência Global de Trabalho Infantil, é deve ser compromisso da Bancada do PT no Congresso Nacional não permitir que o trabalho infantil doméstico continue tirando crianças e adolescentes das escolas e do lazer, deixando-as absolutamente vulneráveis ao que acontece entre as quatro paredes de domicílios que são – ainda - invioláveis para fins de fiscalização do trabalho.

Sabemos que as dificuldades enfrentadas até hoje pelos empregados domésticos, em sua maioria mulheres, é resultado de um processo histórico. O Brasil se configurou como nação tendo como bases ideológicas e políticas o patriarcalismo, o racismo, o elitismo e o preconceito. 

A escravidão acabou apenas há 125 anos.  A CLT, que este ano completou 70 anos, excluiu a categoria de trabalhadores domésticos de sua proteção. A Constituição vigente, que completou 25 anos, tampouco garantiu isonomia de tratamento aos trabalhadores domésticos vis-à-vis os demais trabalhadores rurais e urbanos.

Ou seja, é apenas setenta anos após a promulgação da CLT e vinte e cinco anos após a promulgação da Constituição, que o Congresso Nacional está discutindo a equiparação de direitos deste importante setor da nossa sociedade, que emprega quase 7 milhões de pessoas, 93% mulheres e, destas, 57%  negras (dados do IBGE). São 7 milhões de mulheres que permitem que outras tantas possam sair de suas casas tranqüilas para desenvolver suas atividades em outros setores da economia.

É imensa a responsabilidade do Congresso Nacional na construção de uma legislação justa e reparadora para todos os empregados domésticos deste país.


PUBLICAÇÃO

Notas FPA Internacional 57

Acordo simultaneamente reconhece as Farc como um ator político, que deve ser incorporado ao sistema político colombiano

27/set/2016
HISTÓRIA

Palavras para Alaor Figueiredo

Morreu, na última semana, um homem centenário: Alaor Figueiredo. Militante comunista, revolucionário de rara integridade, dirigente do PCB, no Comitê Estadual de Goiás, nos anos 1970.

27/set/2016
Partido dos Trabalhadores

Organização Partidária

26/set/2016
PUBLICAÇÕES

Notas FPA - Conjuntura Econômica 395

Maioria dos países em desenvolvimento não conseguiram reduzir a diferença de renda com as economias desenvolvidas

23/set/2016
FUNDAÇÃO PERSEU ABRAMO
Rua Francisco Cruz, 234 - 04117-091 - Vila Mariana - São Paulo - SP
(11) 5571-4299 - imprensa@fpabramo.org.br