Ouça a rádio FPA ao vivo no seu browser!
Ouça agora

Instale nosso App!

Fique por dentro de tudo o que acontece com o melhor da MPB!

Coluna no NYT critica Temer: “Fim do mundo já chegou ao Brasil”

6/jan/2017

A emenda que congela os gastos públicos por vinte anos e diversas outras medidas do governo de Michel Temer prejudicarão os cidadãos mais pobres e vulneráveis do Brasil por décadas. Essa é a avaliação da colunista Vanessa Barbara, publicada na edição de quinta-feira (5) do jornal norte-americano The New York Times.

A colunista inicia o texto afirmando que “o fim do mundo já chegou ao Brasil” e faz uma lista de medidas tomadas pela equipe do presidente usurpador que prejudicará diretamente as populações pobre e de classe média brasileiras.

Além do congelamento de gastos, Barbara destacou outras “medidas neoliberais que estão sendo adotadas por Temer”. Entre elas, a reforma da Previdência, o ampliamento da terceirização e a possível entrada em vigor do negociado sobre o legislado.

O negociado sobre o legislado permite ao empregador “combinar” com o empregado a retirada de uma série de direitos trabalhistas e implementar jornada de trabalho de 12 horas e tempo de almoço e férias menores, por exemplo.

A população está saindo às ruas, diz a colunista, para expressar a insatisfação com as medidas impopulares de Temer e estudantes secundaristas ocuparam ao menos mil escolas em protesto. “Mas, como é comum, a população enfrentou gás lacrimogêneo e policiais montados”, explica o texto.

O jornal afirmou que as medidas de Temer vão contra as propostas da presidenta eleita, Dilma Rousseff, consagradas nas urnas em 2014.

“Deve ser motivo de preocupação que Temer possa realizar tantas reformas, especialmente considerando que a maioria delas, incluindo o limite do orçamento, ir contra a agenda da pessoa que – ao contrário de Temer – realmente ganhou a eleição presidencial mais recente”.

The New York Times lembrou que as críticas ao governo não vêm apenas de pessoas ligadas à esquerda e destacou a frase do relator especial das Nações Unidas sobre Pobreza Extrema e Direitos Humanos, Philip Alston. Ele havia afirmado que o congelamento dos recursos por vinte anos “coloca toda uma geração em risco”.

“O que parece ser exatamente onde Temer e seus aliados esperam que o brasileiro esteja”, diz o periódico nova-iorquino.

Por fim, Barbara explicou que a administração de Temer é “profundamente impopular”. Mas afirmou, também, que uma série de entidades que detém o poder político e econômico no Brasil apoiam o governo: Federação das Indústrias de São Paulo (Fiesp) e do Rio do Janeiro (Firjan), Federação Brasileira de Bancos (Febraban), Organização Mundial do Comércio e muitos dos mais altos executivos do País, entre outras.

“Para alguns brasileiros, pelo menos, o fim do mundo é o começo de uma oportunidade de ouro”.

Da Redação da Agência PT de Notícias, com informações do The New York Times


MOBILIZAÇÃO

Lançada a versão completa do documento 'Previdência: reformar para excluir?'

Documento denuncia o caráter excludente da Reforma da Previdência de Temer, rebate suas premissas e propõe alternativas

20/fev/2017
PUBLICAÇÕES

Notas FPA - Política Social 396

Abrasco e o Idec repudiam a decisão da ANS de dar continuidade à discussão de planos de saúde populares ou acessíveis

20/fev/2017
RESISTÊNCIA

Raduan Nassar: 'Nada é tão azul no nosso Brasil. Vivemos tempos sombrios'

Na manhã do dia 17, ao receber o Prêmio Camões, o escritor fez um discurso contra o governo Temer, recebendo aplausos do público

17/fev/2017
PUBLICAÇÕES

Notas FPA - Política Social 395

Maia também defendeu no Congresso que regime da Previdência só seja diferenciado para mulheres casadas ou mães

17/fev/2017
FUNDAÇÃO PERSEU ABRAMO
Rua Francisco Cruz, 234 - 04117-091 - Vila Mariana - São Paulo - SP
(11) 5571-4299 - imprensa@fpabramo.org.br